AÇÃO GLOBAL DO SESI EM PARCERIA COM A REDE GLOBO MOVIMENTA NESTE SÁBADO O MUNICÍPIO DE MORENO, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE–PE

Moreno sedia 23ª SESI Ação Global neste sábado

O município de Moreno, cerca de 30 KM distante do Recife, recebe, pela primeira vez, um dos maiores eventos em prol da cidadania, o Ação Global. Em parceria com a Rede Globo, a iniciativa do Serviço Social da Indústria (Sesi) oferece gratuitamente exames de saúde, atividades de lazer para crianças, palestras, Espaço Qualidade de Vida, entre outras atividades. Essa é a 23ª edição do evento, que acontece das 8h às 16h, no sábado, 21 de maio, no Sesi de Moreno. A iniciativa é nacional e acontecerá em todos os estados e no Distrito Federal.

Segundo o superintendente do Sesi/PE, Ernane Aguiar, Moreno foi escolhida por abrigar polos industriais e também atrair trabalhadores e dependentes das cidades vizinhas, como Vitória de Santo Antão. “ A unidade foi recentemente inaugurada com R$ 4 mi investidos em novos espaços, modernizados e mais amplos, e tem forte estrutura para receber até cinco mil pessoas neste sábado e realizar 15 mil atendimentos gratuitos este ano” afirma Aguiar.

A coordenadora da ação em Pernambuco, Fernanda Pinho, explica que os exames de saúde são os mais procurados e, que nesta edição, os preventivos para câncer de próstata serão oferecidos apenas no horário da manhã com número limitado de vagas. “Teremos ainda odontologia, orientação de saúde bucal, Espaço Qualidade de Vida (orientação nutricional, atividades físicas, aferição de pressão e glicose) e orientação e testagem rápida para Hepatites B e C”, completa.

Ainda no rol de atividades, haverá orientações sobre programas sociais, educação ambiental, prevenção DST’s, cortes de cabelo e brinquedos infantis, com a ajuda da prefeitura local, empresas e instituições voluntárias. Em 22 edições, a Ação Global já prestou mais de 45 milhões de atendimentos em todo o Brasil. Apenas em 2015, foram mobilizados mais de 22 mil voluntários.

Serviço: 23ª SESI Ação Global

Sábado, 21 de maio, das 8h às 16h

Sesi Moreno – Avenida Cleto Campelo, nº 2713, Centro.

Rochélle Alves
Jornalista
Sesi Pernambuco
Assessoria de Imprensa
(81) 3412 8325
www.pe.sesi.org.br

PANELA QUE MUITO SE MEXE….O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta sexta-feira (20) a inclusão de informações sobre o banqueiro André Esteves — passadas pelo ex-senador Delcídio do Amaral –, na denúncia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é acusado de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

Teori inclui informações sobre André Esteves em denúncia contra Lula – Janot apontou ‘estreito relacionamento’ entre dono do BTG e Instituto Lula – Trecho da delação de Delcídio ainda vai para outros inquéritos da Lava Jato –. Renan RamalhoDo G1, em Brasília

Em delação premiada, Delcídio afirmou que Esteves “é um dos principais mantenedores do Instituto Lula” e que “isso se deve a Lula ter sido um grande ‘sponsor’ [patrocinador] dos negócios do [banco] BTG”.
A inclusão dessas informações foi pedida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que apontou “estreito relacionamento” entre André Esteves e o Instituto Lula.

Janot considera que, embora as doações do banqueiro para o instituto não constituam crime, o contexto em que foram feitas é “extremamente relevante” para investigações em andamento sobre o ex-presidente, “especialmente a que trata de possível prática de crime de
lavagem de dinheiro envolvendo o pagamento de suas palestras”.

Delcídio também disse em sua delação premiada que Lula se utilizou de relações pessoais com chefes de Estado, especialmente na África, para alavancar negócios, mas que “não tem conhecimento de que isso tenha ocorrido em favor do Banco BTG”.
A denúncia contra Lula na Lava Jato diz que ele se juntou a Delcídio a José Carlos Bumlai, pecuarista e amigo do ex-presidente; ao filho de Bumlai, Mauricio Bumlai, e atuaram para comprar por R$ 250 mil o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

O Instituto Lula alega que o ex-presidente “jamais” tentou interferir na conduta de Cerveró ou em qualquer outro assunto relacionado à Operação Lava Jato. Em nota divulgada nesta quinta (19), o instituto declarou que Lula já esclareceu em depoimento prestado à Procuradoria Geral da República que jamais conversou o Delcídio sobre o assunto. http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/05/teori-inclui-informacoes-sobre-andre-esteves-em-denuncia-contra-lula.html

PENALIDADE MERECIDA E EXEMPLAR: Moro condena Dirceu a 23 anos de prisão na Lava Jato

É a segunda sentença contra o petista por crimes de corrupção.

© Foto: Rodolfo Buhrer/Reuters É a segunda sentença contra o petista por crimes de corrupção.

O juiz federal Sérgio Moro condenou nesta quarta-feira, 18, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (governo Lula) a 23 anos e 3 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. É a segunda sentença contra o petista por crimes de corrupção – em 2012, ele recebeu pena no mensalão. Foram condenados ainda outros investigados.

A ÍNTEGRA DA SENTENÇA

As penas são pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa no esquema montado na Petrobrás, em que eram desviados de 1% a 5% dos valores de contratos, ,mediante acerto entre um cartel das maiores empreiteiras do País com políticos do PT, PMDB e PP.

José Dirceu de Oliveira e Silva está preso em Curitiba – sede da Lava Jato – desde agosto de 2015. Ele cumpria prisão em regime domiciliar, decorrente da pena no mensalão, quando foi detido pela Polícia Federal acusado de envolvimento no caso Petrobrás.

Os procuradores da força-tarefa afirmaram que “no núcleo político da organização criminosa” alvo da Lava Jato, Dirceu “ocupava papel de destaque” e foi beneficiário final de valores desviados, além de ser um dos responsáveis pela criação do “complexo esquema criminoso praticado em variadas etapas e que envolveu diversas estruturas de poder, público e privado”.

“José Dirceu, em meio à relevância que ostentava no âmbito do Partido dos Trabalhadores, foi o responsável pela indicação e pela nomeação de Renato Duque à Diretoria de Serviços da Petrobrás, possibilitando, desde logo, que grande parte de esquema se edificasse”, sustenta a Procuradoria da República na denúncia final que levou à condenação do ex-ministro.

O processo em que Dirceu foi condenado por Moro tem quatro delatores, três considerados peças importantes no desmonte do esquema que funcionava na Petrobrás: o ex-gerente de Engenharia (área cota do PT na estatal) Pedro Barusco e os operadores de propina Milton Pascowitch, Julio Camargo e Fernando Moura.

Pascowitch, que era operador em nome da Engevix, e virou espécie de contador das propinas de Dirceu, declarou em uma de suas delações que o repasse de valores ao ex-ministro e ao núcleo político “era prioridade por parte dos operadores financeiros”. Sua empresa Jamp Engenheiros Associados foi importante prova de repasses de propina para o condenado.

Mais do que beneficiário, a acusação transformada em pena por Moro, aponta Dirceu como peça central da “profissionalização” do esquema de desvios e lavagem, que abasteceu o PT e outros partidos, além de políticos e agentes públicos.

Na ação do caso Engevix, Dirceu foi punido por ser beneficiar dos desvios por meio de compra e obras em imóveis, pagamentos de falsas consultorias, via empresa JD Assessoria e Consultoria, e pela compra de um avião para uso. Notas fiscais, contratos fraudulentos, quebras de sigilos fiscal e bancários, trocas de mensagens, farto material documental levou Moro a apontar que (*acrescentar trecho sentença).

Condenação

A primeira condenação de Dirceu na Lava Jato trata do pagamento de R$ 56,8 milhões em propinas pela empreiteira Engevix, integrante do cartel de empresas que em conluio com políticos fatiava obras na Petrobrás. O montante é refente a 0,5% e 1% de cada contrato e aditivo da empresa em obras da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC), na Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), na Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e na Refinaria Landulpho Alves (RLAM).

Por seu papel de liderança no esquema, a força-tarefa ainda apresentará novas acusações formais que incluirão Dirceu – inclusive em outras áreas fora da Petrobrás. Uma delas, ainda em fase de instrução de inquérito, é a frente sobre desvios em contratos de Comunicação da estatal.

Dirceu, o ex-diretor Renato Duque, o ex-gerente Barusco e o ex-tesoureiro Vaccari foram condenado pela prática de 31 atos de corrupção passiva.

“A margem referencial das vantagens indevidas era de ao menos 2% do valor do contrato original e de cada aditivo – hipótese em que poderia ser maior -, dos quais 1% era destinado à Diretoria de Abastecimento e 1% era destinado à Diretoria de Serviços, em que era dividido igualmente entre “Casa”, isto é, funcionários da Petrobrás, e partido responsável pela indicação do diretor correlato, neste caso o PT”, diz o processo. http://www.msn.com/pt-br/noticias/crise-politica/moro-condena-dirceu-a-23-anos-de-pris%c3%a3o-na-lava-jato/ar-BBtcbOq?li=AAggXC1&ocid=mailsignoutmd

COMUNICADO IMPORTANTE: SESI/PE oferece 30 mil vagas gratuitas em cursos a Distância

image001.jpg@01D1ACF8.58306AD0

SESI/PE oferece 30 mil vagas gratuitas em cursos a Distância

Com 1,5 milhão de vagas de emprego a menos no país, as pessoas que tentam se recolocar no mercado de trabalho ou se inserir nele pela primeira vez enfrentam o desafio de vencer uma concorrência cada vez mais qualificada, experiente e acirrada. Segundo especialistas, uma das melhores formas para superar esse obstáculo é investir na capacitação profissional. Pensando nisso, o Serviço Social da Indústria em Pernambuco (SESI/PE) oferece, a partir deste mês, 30 mil novas vagas gratuitas em seu programa de Educação a Distância (EAD) para facilitar o acesso já que pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que 40% das pessoas que não se atualizam para o mercado de trabalho alegam falta de tempo.

Até julho, trabalhadores da indústria, seus dependentes e a comunidade em geral poderão se inscrever nos 67 cursos do programa. “Os cursos abordam questões atuais relacionadas às demandas do mercado de trabalho e procuram desenvolver o conhecimento, as habilidades e competências necessárias ao profissional do terceiro milênio”, afirma a coordenadora do programa, Grace Barbosa. Além do conhecimento técnico, orientações sobre comportamento no ambiente corporativo e situações pessoais que possam influenciar no desempenho do colaborador também fazem parte do portfólio da EAD do SESI/PE.

O portfólio é composto por cursos voltados tanto para a parte estratégica, quanto tática e operacional das empresas, especialmente das indústrias. Entre eles, planejamento tributário, educação financeira, gestão, liderança, pesquisa de mercado, comunicação e marketing, Segurança e Saúde no Trabalho (SST), ética profissional, segmentos industriais, entre outros.

Para participar, basta escolher o curso desejado e se inscrever no site www.pe.sesi.org.br. O aluno pode escolher o horário e local mais conveniente para estudar e se concluir o treinamento em até 30 dias e acertar 70% das questões, a entidade emite o certificado. Mais informações pelo telefone (81) 3412.8555 ou pelo e-mail educacao.distancia@pe.sesi.org.br​​​.

Rochélle Alves
Jornalista
Sesi Pernambuco
Assessoria de Imprensa
(81) 3412 8325
www.pe.sesi.org.br

image002.jpg@01D1ACF8.58306AD0


O IMBECIL VICE DE CUNHA VOLTA ATRÁS E REVOGA SEU ATO QUE ANULA O IMPEACHMENT DA PRESIDENTA DO BRASIL

Maranhão recua e revoga decisão de anular sessão do impeachment- Presidente interino da Câmara decidiu de manhã e voltou atrás à noite. Senado decidirá na quarta (11) se afasta presidente Dilma por até 180 dias. Do G1, em Brasília

 

O presidente em exercício da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu na madrugada desta terça-feira (11) revogar a decisão que proferiu pela manhã para tentar anular a sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A Secretaria Geral da Mesa da Câmara recebeu a decisão da revogação por volta de 00h20. Maranhão assinou dois ofícios (veja ao final desta reportagem) – um com a revogação da decisão e outro destinado ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), informando sobre a nova deliberação, que deverá ser publicada nesta terça (11). O processo de impeachment tramita desde a semana passada no Senado e será votado no plenário nesta quarta-feira (10).

“Revogo a decisão por mim proferida em 9 de maio de 2016 por meio da qual foram anuladas as sessões do plenário da Câmara dos Deputados ocorridas dias 15, 16 e 17 de abril de 2016, nas quais se deliberou sobre a Denúncia por Crime de Responsabilidade n.1/2015”, diz o texto do ofício assinado por Waldir Maranhão.

A decisão de Maranhão de tentar anular a sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment surpreendeu o meio político pela manhã e provocou grande movimentação durante todo o dia. O partido PHS chegou a protocolar no Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido para que a Corte derrubasse a medida tomada por Maranhão.http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/05/maranhao-recua-e-revoga-decisao-em-de-anular-sessao-do-impeachment.html

DURANTE MINHA VIDA TODA NUNCA VI UMA ESCULHAMBAÇÃO TÃO DESPROPOSITADA QUANTO ESTAMOS VENDO NO BRASIL DE HOJE, estamos cercados de bandidos e pilantras na política nacional. Lamentável !!

Renan comunica a senadores que vai dar continuidade ao impeachment’- Ato do presidente interino da Câmara havia anulado votação da Casa – Senado deve ler ainda nesta segunda (9) parecer da comissão especial. Gustavo GarciaDo G1, em Brasília

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), comunicou nesta segunda-feira (9) ao plenário da Casa que decidiu dar continuidade à tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff à revelia do ato do presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que anulou a votação do dia 17 de abril. A decisão foi tomada após consultas ao regimento interno do Senado e conversa com líderes partidários na residência oficial do Senado.

“[Quando o Senado recebeu o processo] disse que a tramitação não seria tão célere de modo que parecesse apressado nem tão demorada de modo que parecesse procrastinação. Aceitar essa brincadeira com a democracia seria ficar pessoalmente comprometido com o atraso do processo”, declarou Renan no plenário do Senado.

“Nenhuma decisão monocrática pode se sobrepor à decisão colegiada, tanto mais quando essa decisão foi tomada pelo mais relevante colegiado da Casa […] Por todo o exposto, deixo de conhecer o ofício da Câmara dos Deputados e determino sua juntada aos autos da denúncia com esta decisão”, completou o presidente do Senado.

O G1 procurou a assessoria do Palácio do Planalto para comentar a decisão do presidente do Senado, mas não havia obtido resposta aaté a última atualização desta reportagem.

Após o anúncio da decisão, Renan Calheiros teve de suspender a sessão temporariamente devido ao tumulto que se formou no plenário devido ao inconformismo de senadores governistas.

O presidente do Senado tentava dar a palavra ao orador que se encontrava na tribuna, o senador José Pimentel (PT-CE), mas era impedido devido aos gritos de senadores. “Não gritem, não gritem, não gritem”, apelou Renan.

Como não conseguiu ser atendido, ele decidiu suspender a sessão. “Vou suspender a sessão por dois minutos para que Vossas Excelências gritem em paz”, declarou.

O ofício do presidente interino da Câmara dos Deputados pedindo que os autos do processo de impeachment sejam devolvidos à Casa chegou, às 11h37 desta segunda, na Secretaria-Geral do Senado. Cabia a Renan decidir se devolvia ou não o processo aos deputados federais.

Com a decisão de Renan Calheiros de dar continuidade à tramitação do processo de afastamento, deverá ser lido ainda nesta segunda-feira, no plenário do Senado, um resumo do parecer da comissão especial do impeachment que recomenda a instauração do processo pelo Senado.

Após a leitura, o resumo será publicado no “Diário Oficial do Senado” e começará a contar o prazo de 48 horas para que o relatório possa ser votado pelos senadores. A sessão de votação do parecer está prevista para iniciar na manhã desta quarta-feira (11).

A votação do impeachment

Como cada senador terá 15 minutos para fazer considerações sobre o relatório, a sessão deverá invadir a madrugada de quinta-feira (12). Se a maioria simples dos senadores presentes (metade mais um) aprovar o relatório da comissão, a presidente será afastada da sua função por 180 dias. Para que a sessão tenha início, é necessária a presença de pelo menos 41 senadores.

Se a maioria dos senadores decidir pela abertura do julgamento no Senado, o vice Michel Temer assumirá a presidência enquanto os parlamentares julgam a presidente. O processo não precisa terminar em 180 dias e, se ultrapassar este prazo, Dilma reassumiria o governo.

Na última sexta (6), o parecer do relator, Antonio Anastasia (PSDB-MG), foi aprovado com 15 votos a favor e 5 contra. Dos 21 integrantes da comissão, apenas o presidente, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), não votou. Antes de autorizar a votação no painel eletrônico, ele explicou que só iria registrar voto caso ocorresse um empate.

O parecer de Anastasia diz que a denúncia acolhida pela Câmara contra Dilma apresenta os requisitos formais exigidos pela lei e pela Constituição: indícios de autoria e existência de crimes de responsabilidade. O parecer levou em conta decretos da presidente que abriram créditos suplementares sem autorização do Congresso e as chamadas “pedaladas fiscais”.

“Identificamos plausibilidade na denúncia, que aponta para a irresponsabilidade do Chefe de Governo e de Estado na forma como executou a política fiscal”, diz o texto. “Não se trata, por fim, de ‘criminalização da política fiscal’, como registrou a denunciada em sua defesa escrita apresentada a esta Comissão, mas da forma como a política foi executada, mediante o uso irresponsável de instrumentos orçamentário-financeiros”, completa o relatório.

No parecer de 126 páginas (veja a íntegra), Anastasia também rebate as críticas da base governista de que o processo representa um “golpe” e disse que ele está de acordo com a Constituição.

Veja abaixo os principais pontos do relatório de Anastasia:

– A denúncia contra Dilma está de acordo com a Constituição e deve ser aceita.

– O processo não é golpe, porque seguiu as leis e teve direito a ampla defesa.

– Existe previsão legal para o impeachment, para evitar um “poder absoluto do governante”.

– Há indícios de materialidade e autoria das “pedaladas fiscais” de decretos de abertura de créditos suplementares. Os atos configuram crime de responsabilidade.

– É possível, sim, julgar contas que ainda não foram avaliadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

– Não houve “vício” na abertura do processo na Câmara, que foi motivada, principalmente, por questões técnicas.

– Não houve irregularidades na votação na Câmara.

– Não há irregularidade na eleição de Anastasia para relatoria da comissão especial do Senado

.http://g1.globo.com/politica/processo-de-impeachment-de-dilma/noticia/2016/05/renan-comunica-senadores-que-vai-dar-continuidade-ao-impeachment.html

NO BRASIL TUDO É POSSÍVEL, ATÉ RONALDINHO FENÔMENO NÃO PAGAR UMA DÍVIDA UM POUCO MAIS DE DE MIL REAIS: Juiz manda Ronaldo pagar dívida de R$ 2,3 mil à Prefeitura

O ex-jogador Ronaldo foi condenado a pagar dívida de IPTU à Prefeitura de São Paulo, que ganhou em primeira instância processo que move contra o ex-atacante por não ter pago imposto predial e territorial urbano (IPTU). O juiz Felipe de Melo Franco determinou, em decisão proferida no último dia 19 de abril, que o ex-atleta do Corinthians pague R$ 2.321 mil, valor já atualizado com correções de uma pendenga de R$ 1.565,76, datada de fevereiro de 2014.Quando anunciou sua decisão, o juiz avisou no despacho que o valor deveria ser pago em prazo de cinco dias, sendo que a não quitação da dívida estava sob pena de ter bens do pentacampeão mundial pela seleção brasileira penhorados pela Justiça. O valor não justifica tanto, mas a decisão consta dos autos.

Ex-jogador tem dívida por imposto predial e territorial urbano Fabio Motta| Estadão Ex-jogador tem dívida por imposto predial e territorial urbano© Fornecido por Estadão Ex-jogador tem dívida por imposto predial e territorial urbano

“Cite-se o executado(a) para que, no prazo de 05 (cinco) dias, pague o débito, cujo valor deverá ser corrigido monetariamente até a data do efetivo pagamento, acrescido de multa, juros, honorários advocatícios – ora fixados em 10% (dez por cento) -, custas e despesas processuais, ou, em igual prazo, ofereça bens à penhora, sob pena de serem penhorados tantos bens quantos bastem para a garantia da execução, ficando, ainda, CIENTE de que o prazo para oposição de embargos é de 30 (trinta) dias, contados da intimação da constrição (art. 16, da Lei 6830/80), valendo a citação para todos os demais termos e atos processuais, até final liquidação”, afirmou o juiz em seu despacho, que depois conclui: “Se negativa a citação, dê-se vista dos autos à Fazenda. Se positiva, aguarde-se, pelo prazo de cinco (5) dias, o pagamento ou a nomeação de bens; nada sendo providenciado pelo(a) executado(a), dê-se vista dos autos à exequente. Intime-se”, escreveu o magistrado no documento. http://www.msn.com/pt-br/noticias/other/juiz-manda-ronaldo-pagar-d%C3%ADvida-de-rdollar-23-mil-%C3%A0-prefeitura/ar-BBsJ6nD